Entre os muitos detalhes da decoração que eu mesma fiz para o quartinho do Antônio, eu tenho que confessar: aquele que me deu mais alegria em elaborar, pensar e executar foi o móbile dele. Acho que foi por vários motivos: pelo o significado que ele tem para mim, por ter sido o primeiro projeto que idealizei para o cantinho dele. Acho que foi quando tudo começou a tomar forma, a se materializar de verdade. Foi quando eu parei e pensei: Nossa, vou ter um filho! =)
Tenho certeza que quem está passando por esse momento ou já passou por ele, sabe muito bem do que eu estou falando e o que eu estou sentindo. 
Bom, mas voltando ao assunto… Para eu chegar na ideia do móbile, eu primeiro fiz uma busca pela internet e também em revistas especializadas no tema kids. E olha, admito: nada do que já tinham feito me inspirava, nada do que eu via me trazia um significado ou me agradava muito. Resultado? Rabisquei por semanas as ideias que eu tinha, e, no final, nada se definiu de verdade. Então eu resolvi esfriar a cabeça, deixar os meus rabiscos de lado por um tempo e relaxar sobre o assunto. Quando retomei o projeto vi que era necessário eu começar a pensar o que esse momento significava de verdade para mim e, de que forma, esse sentimento tão grande poderia ser transformado em algo palpável, sabe? 
Ih, filosofei demais para você? Pode ser. Mas foi assim que cheguei onde eu queria. Um dia a ideia apenas… surgiu. Sabe aquela noite linda, onde você olha para cima e suspira feliz? Era isso! Esse momento tão especial que eu vivo hoje, eu traduzi como sendo o meu momento: céu estrelado. Aaahhhh… (suspiro de emoção de uma mãe babona  e de primeira viajem). Não me julguem, ok? Estou sensível demais para isso! =)
 
Então, o passo seguinte foi colocar a ideia no papel e pensar na técnica que eu usaria para executar. Eu não queria nada em tecido, acho que pela limpeza e a manutenção da peça. Então, resolvi fazer o móbile mesclando a técnica de papel machê e a papietagem, que eu adoro! E acabei percebendo que essa é uma forma de ter um móbile personalizado e com custo bem baixo. O que é ótimo!  
 
Agora vem as perguntas:
 
Vai ser mamãe, também? 
-Parabéns! Já tem o móbile ou pensa em fazer um? Então fica!
Quer fazer um mimo por quarto do seu filhote cheio de personalidade? 
– Já pensou em um móbile? Então fica, também!
Ah, você está aqui só de curiosa(o) para ver o resultado final, né?
Tudo bem! Chega mais e fica! 
 
Mas, em qualquer um dos casos que você se encontre bom base nas perguntas acima, eu já te aviso: 
É bom você ter um tempinho livre. Senta, pega um caderno e uma caneta, toma um suco geladinho e relaxa, pois o post acabou ficando longo, sabe? É que são muitos detalhes. Mas vai valer a pena, eu te garanto! =)
 
Ah, para ficar mais fácil o processo todo, eu achei melhor dividir tudo em duas etapas, ok? Vamos ver se assim fica mais fácil para quem quer aprender.
  
E, na etapa 1, você vai precisar de:
  • O projeto do móbile feito em papel A4;
  • 1 pedaço de papel carbono e um lápis;
  • 2 pedaços de papelão (você pode usar uma caixa usada que tenha em casa, ok?);
  • 1 tesoura;
  • papel alumínio (aqueles que usamos na cozinha);
  • fita crepe.

 

 
 
Passo 1: Transfira o desenho do móbile para o papelão com a ajuda do papel carbono e do lápis;
 
Passos 2 e 2.1: Faça o desenho em módulos. assim: primeiro a nuvem e depois as estrelas, para facilitar o corte das figuras depois;
 
Passo 3: Com a ajuda da tesoura recorte as peças desenhadas no papelão;
 
Passo 4: Arrume as peças recortadas sobre uma bancada ou uma mesa, para ver se elas estão boas em proporção, se precisará de mais estrelas etc. 
 
Essa etapa te ajuda, também, a visualizar o resultado final.
 
Passo 5: Passe pedaços de fita crepe nas bordas da nuvem e de todas as estrelas. Isso dá mais firmeza as peças;
 
Passo 6: Com a ajuda do papel alumínio e da fita crepe vá moldado as figuras para que elas criem o efeito 3D tão desejado;
 
Concluiu essa etapa? Ótimo! 
Então, vamos para o segundo round
 
Na etapa 2 você vai precisar:
 
  • 500 g de cola branca (eu uso sempre a base de PVA, da Cascorez, pois eu gosto muito!);
  • Sobras de papel (você pode usar jornal ou revistas usadas, embrulho de compras etc);
  • 500 g de massa de papel machê (como faz? achei uma receita aqui)
  • 1 espátula de patê ou manteiga. Sim, aquela que tem na cozinha da sua casa.
  • 1 pedaço de lixa n° 150;
  • 1 pedaço, em torno de 50 cm, de arame maleável, mas resistente;
  • 1 alicate de bico fino (aqueles usados para fazer bijoux);
  • Base acrílica para artesanato;
  • Pinceis para artesanato em tamanhos variados;
  • Tinta acrílica em cores variadas, de acordo com o que foi definido no seu projeto;
  • Verniz acrílico fosco ou brilhante;
  • Linha de crochê ou barbante na cor branca;
  • 1 agulha.
 

Passos 7 e 7.1: Agora, nós vamos papietar as peças, ok? Faça isso com a ajuda de um pincel. Passe um pouco de cola branca na peça e coloque um pedaço de papel sobre a cola. Você pode cortá-lo grosseiramente mesmo com as mãos, em pedaços de mais ou menos, 3 cm. É preciso revestir todas as peças desta forma (frente e verso). Finalizada essa etapa deixe as peças secarem por 1 dia.

 
Quer saber mais sobre papietagem antes de encarar o projeto?  Eu achei um site que explica bem essa técnica aqui
 
Passos 8: Com as peças papietadas e secas é hora de aplicar a massa de papel machê. Trabalhe cada peça, se-pa-ra-da-men-te. Comece pela nuvem, por exemplo. Cubra a superfície dela com a massa de papel machê, e, utilizando sempre a espátula de patê vá dando forma a peça. Depois, faça isso em todas as estrelas. 
 
Dica: É importante sempre passar a espátula na cola branca, pois isso ajuda muito que ela deslize melhor pela massa e tudo fique lisinho, ok?
 
Esse passo é o mais demorado e o mais delicado. Então, a dica é ter paciência mesmo e fazer tudo por partes: primeiro faça a frente, espere uns 30 minutos e depois comece o verso das peças, e por aí vai.
 
Passo 9: É nessa etapa que usamos os arames. Ainda com a massa úmida, mas não mole, nada de fazer isso com  amassa recém aplicada, ok? Corte pedaços pequenos de arames. Eles servirão de ganchos para pendurar o móbile onde desejar e, também, para pendurar as estrelas na nuvem. Eu marquei com um lápis onde ficaria o gancho no topo da nuvem e os três ganchos na base dela, onde seriam penduradas cada conjunto que criei de estrelas. 
Ao todo fiz três conjuntos de estrelas: 1 conjunto com 3 estrelas e 2 conjuntos com 2 estrelas. 
Para fazer os ganchos, corte um pequeno pedaço de arame e, com o alicate faça um pequeno arco e introduza nas marcações feitas na nuvem (ver figura 9).
Passe pedaços de arame dentro de cada estrela também, com cuidado. Isso cria a passagem necessária para que a linha ou o barbante possa ser passado por dentro de cada estrela já na reta final da montagem do móbile, ok? (A figura 12 mostra as estrelas com esses arames para você entender o que fiz)
 
Passo 10: Depois que as peças estão todas bem secas (deixei 2 dias no sol pleno), lixe-as bem e aplique, em seguida, a base acrílica. 
 
Dica: Repita os processos de lixar e aplicar a base acrílica umas 3 vezes, para que as peças fiquem bem lisinha e acabadas.
 
Passos 11 e 12: Hora de colori! Oba! Pinte as estrelas e a nuvem nas cores desejadas e, depois de bem secas é só passar o verniz acrílico para dar o acabamento final;
Estamos quase lá, eu juro!
 
Passo 13: Tire os arames que serviram para criar a passagem dentro das estrelas, lembra? E passe a linha de crochê ou o barbante em cada uma elas e entre elas. Faça isso a ajuda da agulha.
 
Importante: a distância entre as estrelas eu fiz no “olhometro” mesmo. Ajustei até a composição ficar bem harmoniosa para mim. Depois disso, dê um nó na base e no topo de cada estrela para a linha ou barbante não correr. Depois, amarre cada conjunto de estrelas na nuvem e a nuvem no teto ou onde você desejar.
 
O saldo de todo esse processo e dos dias de muito trabalho?
Você vê agora, já no cantinho dele.  
 

 
E voilà! 
O primeiro projetinho DIY do quartinho do Antônio foi concluído! 
Feliz, feliz demais! 
Posso? 
Ah, como posso! =)
 
Beijos,
Mari.

Comente:

comentários