Sim, Belém é a cidade que eu escolhi para viver. Depois de eu rodar o mundo, um certo moço de olhos castanhos me fez ver que aqui poderia ser sim, um lugar bacana para viver. Eu comprei a ideia e, juntos, fizemos dessa cidade a nossa morada.
Belém é uma cidade como costumo dizer… peculiar. Não é a cidade do amor à primeira vista como: Rio, São Paulo ou a minha querida Paris. É preciso ter calma, chegar de mansinho. Tem que se permitir. Abrir o coração. Prestar atenção nos detalhes. Se entregar aos cheiros e aos sabores.
É amor à segunda vista. Que vem lentamente… mas vem!
Depois de 6 anos por aqui (nossa já!), hoje a cidade me inspira. E, dessa inspiração, surgiram as minhas telas em homenagem à cidade.

 

A primeira que eu pintei (há 4 anos atrás) foi uma tela que de certa forma agradecia Belém por tudo o que ela tinha me trazido de bom: um amor ao lado de uma pessoa gente fina, elegante e sincera (ops, isso não é uma música do Lulu???), um “lar doce lar” de verdade, a Nina e a Amelie (minhas filhotas de 4 patas que enchem minha vida de amor e alegria) e meus poucos, mas queridíssimos amigos, que eu fui encontrando por aqui. 
 
Quando finalizei a tela, lembro que fiz questão de colocá-la em destaque na sala de estar do refúgio colorido. Lembram? 
 
Foto: Antonio Carlos/ Revista Minha Casa, dezembro 2011.
 
 
 
Depois dela outras surgiram. E, a última tela que eu fiz (mês passado) nasceu do desejo de uma cliente muito doce, que um dia me mandou um e-mail dizendo: “…queria uma tela sua, bem colorida, como a da sua sala de estar, para alegrar meu lar.
 
O desejo dela e do marido:
 
Retratar a cidade de Belém;
Cores que eles desejariam ver na tela: amarelo, vermelho azul.
O resto? Bem, o resto é com a mamãe aqui! Pera lá, que já te mostro! =)
 
Foram dias no 3° turno, debruçada entre lápis, papéis, tintas, pincéis e uma tela… grandona. E, depois de algumas semanas… eis que ela surgi ensolarando o meu ateliê (difícil é desapegar!):
 
 
 
 
 
 
  
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
No dia da entrega, eu tive o prazer de conhecer os donos da tela, pessoalmente. E a recepção não poderia ter sido melhor! Um abraço de “finalmente nos conhecemos!”. Muitas risadas e um desejo sincero de que a tela alegre o lar do jovem casal, que começa uma vida cheia de sonhos lindos a serem realizados! =)
 
Bom, e como a cidade está num clima diferente esse mês, desejo a todos que passarem por aqui: um Feliz Círio! (o equivalente ao Feliz Natal nas outras cidades!). 
Não te disse que a cidade é peculiar?
 
Volto depois do feriadão e das festas do Círio. 
Prometo! =)
Mari. 

Comente:

comentários