Organizar o retorno ao trabalho se tornou algo árduo para mim. A gente pensa que tem tudo sobre controle até o filho nascer. Depois que ele nasce tudo muda de rota e você fica meio à deriva por um tempo.
Mas o bom da maternidade é que ela também te faz ver a vida por outro prisma. Te leva a sair da zona de conforto, te move em novas direções ou até mesmo, te faz voltar a caminhos que foram perdidos com o tempo.
Agora com o Antônio, junto com a minha vontade de ficar perto dele (de cuidar, de ninar, de alimentar…), eu optei por trabalhar de casa. 
Como? Trabalho entre uma mamada e outra, entre as sonecas dele, entre as trocas de fraldas e à noite, depois que ele dorme. Tem sido uma maratona trabalhar novamente, mas, aos poucos, esse lado da minha vida está voltando a uma rotina.  
É fácil? Não! Ainda mais quando não se deseja ter uma babá te ajudando. Mas também não é impossível, principalmente quando se tem um companheirão arretado do lado. (Sim, falo sem modesta nenhuma, pois ele merece esse credito) =).
Bom, mas você se lembra do que eu falei lá me cima sobre o bom da maternidade é que ela também te faz ver a vida por outro prisma. Te leva a sair da zona de conforto, te move em novas direções ou até mesmo, te faz voltar a caminhos que foram perdidos com o tempo”?
Então, eu enfatizo isso para dizer que a chegada do Antônio tem me permitido voltar às origens. Eu voltei a customizar, a criar peças pensadas especialmente para os meus clientes. Algo que há um tempão eu não conseguia fazer por conta da minha dedicação plena no desenvolvimento dos meus projetos de interiores, nos últimos 2 anos. 
 
Já até sei a pergunta que passa na sua cabeça agora: 
– Mari, os seus projetos de interiores continuam? 
Sim! Mas de uma forma moderada e diferenciada, como os clientes que me contrataram já sabem. =) 

Em um outro momento explico isso melhor aqui, ok?
 
Bom, agora, enquanto o solzinho dorme quero mostrar mesmo é um “Antes & Depois” bem legal de duas peças em madeira que eu fiz recentemente e até publiquei um tiquinho delas no integram.
 
Posso falar? Me deu uma dorzinha no coração de deixá-las partir. Já disse que me apego as peças que eu crio? Acontece com todas elas, sempre! =/
 
Bom, vamos a um “vapt-vupt”das principais dicas da cliente para você entender como cheguei ao resultado final?
  • Gosta de peças alegre e coloridos; 
  • Entre as cores favoritas está o amarelo; 
  • Pensar nas peças de forma que fiquem bem no mesmo ambientes.
O ANTES

Ambas as peças estavam em um bom estado. Isso significa, para mim, que não tinham pernas ou tampos soltos, nem cupim etc.
 
 A PROPOSTA 


O processo de pintura foi: 

* limpei bem as peças com pano úmido;

* lixei;
* emassei os pequenos defeitos com massa para madeira  e todo o tampo de ambas(uso a massa da Coral);
* depois de secas, lixei novamente, com lixa fina;
* apliquei 3 demãos de fundo nivelador para madeira (uso o fundo da Coral, também);
* depois de secas, eu lixei levemente;
* apliquei 3 demãos de tinta esmalte a base de água, respeitando sempre o intervalo entre as demãos!


REFERÊNCIAS DE CORES E DETALHES


– Mesinha A- Cor escolhida foi o Turquesa Intensa da Coral e colei o tecido do interior da gaveta com cola branca.  
– Mesinha B- escolhi o Ouro Real da Coral e no tampo apliquei tecido adesivo.

 O DEPOIS  
Com direito a produção e tudo, pois elas merecem, vai?! =)
 
A mesinha A ficou…


A mesinha B ficou…



E aí gostou? Me conta?

Volto depois pra saber. =D 

Ih, deixa eu ir que o solzinho acordou.

Beijo, 
Mari.

Comente:

comentários